segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Soneto de aniversário


Escrevo-te mais uma vez meu amor
Para que saiba o quanto é importante
Que a sua ausência me traz a dor
Quando de mim se afasta um instante

Quero dar-lhe todas as flores desta estação
Em mais uma primavera de sua existência
Sempre confundindo toda minha razão
Seu corpo e sua voz com eloqüência

E em todas as primaveras que tu viver
Estarei junto de ti a lhe abraçar
Amar seu corpo com delírios e prazer

Na tristeza e na doença te amparar
Na saúde e na alegria se refazer
Para que logo a vida possa renascer.

Feliz aniversário! Te amo Samara D’artibale!

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

O surto

 A mim não interessa alguém que não me ame, não me queira,
Não tenha vontade de estar junto a mim, só queira estar longe,
Me despreze e sempre se esconde atrás dos problemas e do tempo
Para não ficar junto comigo, que viva apenas de tristezas e
Fatos ocorridos em um passado distante que insiste em perseguir

A mim interessa um amor intenso, como uma droga, que aumenta
Sua dose gradativamente, cada minuto longe a saudade se torna
Como um surto causado pelo vicio desta droga, droga de te querer
E ao mesmo tempo te odiar, apenas me interessa alguém que
Não tenha medo de nada, que fosse de ferro, que de valor na vida e
Na juventude, o melhor presente dado do criador, não seja em vão 

E possamos compartilhar cada momento, mesmo nas alegrias e nas
Lagrimas da tristeza, quero alguém q viaje comigo, queira ver o mar e
Nas coisas simples sempre reencontrar o amor quando precisar
Mas ás vezes acho que a mim não interessa ninguém...

Poesia escrita de forma totalmente errada, mais danem-se as regras, cansado de todo mundo dizer o que tenho que fazer. E como seria bom se a vida fosse tão bela como nas poesias.

domingo, 3 de julho de 2011

Senhora lua


Senhora lua por que tu me olhas assim?
Faz-me lembrar de um olhar e um fim
Queria de você poder me esconder
Para que logo passe esse meu querer

Como desejo arrancar do céu a lua
E nunca mais sentir saudades sua
Mesmo fugindo esta noite pelo mar
Ao olhar para cima vejo seu olhar

O que me adianta de seus olhos lembrar
Se para onde vou comigo você não vai estar
Apenas ficarei preso na angustia deste mar
Onde me restaram lembranças e a luz do luar

sábado, 25 de junho de 2011

Minha bandeira

Minha bandeira flameja a luta do povo
Cujo anseiam por um Brasil mais justo e novo
Onde todos possam freqüentar um colégio
E a educação deixe de ser um privilégio

Minha bandeira para o proletário é um grito
Cuja ideologia é o braço que ampara o aflito
Cujo vive sem nem mesmo ter o que comer
Muito menos dignidade para poder viver

Minha bandeira é uma ameaça para a burguesia
Cujo pisam nos trabalhadores e vivem em demasia
Pois não temeremos a luta, nada temos a perder
A não ser as correntes que insistem em nos prender

Minha bandeira é vermelha de um sonho jovial
Onde nossas vidas são entregues por um ideal
Minha bandeira fica mais bela com outra bandeira
A mais linda de todas, á bandeira brasileira

A tempestade

Ao fim de tudo uma nuvem negra
O entardecer jazia frio em trevas
O vento cavalgava veloz na imensidão
Levando folhas e poeiras sobre os prédios

Em um flash de luz, um forte estrondo
Vi todas as luzes se apagarem
Através do vidro embaçado vi o caos
Muito além da escuridão vi o medo

Ali estava eu no meio da confusão
Porém sem nada a temer apenas frustrado
Pelo tempo que corria como um cavalo
Junto com o vento deixando árvores no chão

Dentro do carro estava eu preocupado
Talvez conseguisse estar enfim na faculdade
E ansiosamente afim apresentar nosso trabalho
Para mostrar a professora por fim nossa capacidade

domingo, 15 de maio de 2011

O vento

Escute o vento, como ele corre e bate na janela
Ele quer me levar daqui, tenho muito medo
Esconda-me em seus braços só por esta noite
Enquanto a chuva quebra o silencio desta escuridão

Tenho medo, de o vento me levar para muito longe
E nunca mais poder sentir seus beijos novamente
Proteja-me desse vento esta noite, com seu calor
Deixe que o vento passe sem que leve-me de ti

Para gritar seu nome por toda eternidade
Não deixe que leve-me agora, apenas esta noite
Quero passá-la inteira na proteção de seu abraço

Deixe que o vento me procure e me chame
Enquanto estarei adormecido ao velar de seus olhos
E agarrado a única esperança de viver feliz, descansarei.

domingo, 8 de maio de 2011

Sempre no meu sempre


Estar longe de seus beijos e carinhos
É estar vivendo sem poder viver
Estive morrendo sem poder morrer
Mesmo que meus sonhos e orgulho impeçam

Eu penso acordado todas as noites em sua pele
Sinto seu perfume quando estamos longe
Sufoca-me o amor quando me recorda seus risos
Esqueço- me de tudo e me afogo em seu mundo

Minha alma chora em silêncio, com sua ausência
Dói-me os dias, me trai a dor da distância
Convenço-me da realidade e finjo tudo estar bem

Mesmo que meu sonho um dia me mate
Ou afaste-me para toda a eternidade de ti
Estarás sempre no meu sempre


domingo, 17 de abril de 2011

No meu coração


Não conseguirei jamais entender
O que tu fizestes comigo, aqui dentro
Desde que a vi naquele momento
Mudastes completamente meu saber

Tu completas todo esse vazio
Tudo de melhor, a vida que há em mim
Caminharei junto a ti esse caminho
Não sei se viverei sem teu carinho

Caminhei há tempos por ruas frias e vazias
E quando me sinto muito triste e só
Está você com sua graça e luz
Com seu sorriso e sua voz eloqüente

Quando tudo parece estar a desabar
Tu és minha rara calma, minha fé
Como o sangue que corre em minhas veias
Toda e intensa vida que há em mim...


domingo, 10 de abril de 2011

Samara


Minha lindíssima amante amada
Dei-me toda alegria de seu amor
Mostre-me o quanto és feliz ao meu lado
Traz-me de volta o que há tempos perdi

Deixe que meus beijos mostrem a ti
Que em meu amor tu podes confiar
Em meu coração sempre existirá
Sua doce lembrança nunca morrerá

Será eternamente minha menininha
Hei de protegê-la com minha vida
Hei de zelá-la com todo meu amor

E perceber um ao outro a verdade
Vivendo a cada dia nossa realidade
Mesmo na saudade te amarei sempre.

Uma noite apenas

São lindos os olhos teus ao encontrar os meus
Irradiam nessa noite de amor sua beleza
Queimando meu corpo com o toque de suas mãos
Ardendo minha alma de um louco desejo

Sua boca de encontro a minha, percorrendo meu corpo
Em um ritmo perfeito de sonhos e amor
Estávamos amando-nos loucamente sob brumas
Nosso amor reluzente se refletia acima de nós

Mostrando seu lindo corpo sob meus braços
Acariciando-te suavemente com todo meu amor
Trazendo-me de volta o que tinha esquecido

Que guardei sem qualquer razão ou motivo
Mas que a esta noite deixou tudo especial
Com muita alegria em nossa primeira noite de amor.

sexta-feira, 4 de março de 2011

O fim

O fim

Queria eu, poder apagar-te
Exorcizar-te do meu pensar
Deixar que nossos bons momentos
Adormeçam dentro de nós dois

Percebo enfim, o abismo que nos separa
A vida que nunca aconteceria
O amor que jamais existiu
A flor que nunca desabrochou

O que aconteceu foi só o desejo
Juntos, assassinamos nossas vontades
Esquartejamos e as queimamos para sempre

Quero que jamais se esqueça de mim
Mate-me com seu ultimo beijo e
Enterre-me com seu adeus...

quinta-feira, 3 de março de 2011

O senhor do tempo

Como direi ao tempo o que acontece
O tempo não perdoa, não para
Mostra- nos todos os erros, tudo que perdemos
Nos da à possibilidade de um recomeço
Mas quando perceber, estará velho
Terá deixado muitas coisas para traz
Deixamos para traz, antigos valores
E adquirimos novos, deixamos amigos
Porém, convêm boas lembranças dessas pessoas
Por terem feito parte, de alguma época boa da vida
Podemos ser tudo o que quisermos
Temos o futuro e o presente nas mãos
Resta a nós saber qual caminho vamos levar
Mesmo que levamos uma vida de amarguras
Algo de bom sempre haverá
E esse bom é o que devemos guardar
Inveja, ódio e rancor só nos amarguram ainda mais
Vamos viver sem se preocupar
A um grande amor se entregar
Se um banho de chuva tomar
Pisar com os pés descalços no barro
E a cada dia irradiar a beleza de estar vivo...

A balada

A balada

O banho
A roupa nova
O perfume
As chaves
O carro
A estrada
A chegada
As luzes
A música
As “biritas”
A dança
O olhar
A conversa
O beijo
O tempo passando
O fim chegando
O dia amanhecendo
A minha cama
E eu dormindo...





 

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

La bella luna

Surgiu em minha vida branca como a lua
Iluminando as trevas de minha triste solidão
Ao morrer anoitecendo em meus braços
Renascera ao raiar do dia em meu coração

Seus cabelos negros como a noite
Mostra entre todas as mulheres a mais misteriosa
A flor mais linda irradiante e toda formosa
Que em uma noite vazia sob luz se fez minha

Se fez linda e pequenina sobre os meus braços
No meu abraço senti que era o mais feliz dos homens
Mesmo sabendo que você nunca poderia ser minha
Mesmo insistindo em uma única chance de te ter

Agora o que mais quero é te ver novamente
Ter você pelo menos uma única vez em meus braços
E sob a luz da lua em seu abraço adormecer feliz.